Viagens sonhos

Viagens sonhos

sexta-feira, 17 de Fevereiro de 2012

Fez Marrocos

Localiza-se no centro-norte do país e tem cerca de 950 mil habitantes (censo de 2004). Foi fundada em 808 d.C. por Idriss II, tendo sido a capital de Marrocos durante vários períodos. É a cidade onde esta localizada a Universidade de Karueein, a mais antiga universidade do mundo ainda em funcionamento, criada nos primórdios da cidade (859)



Moulay Idriss I fundou medina de Fes no ano 790, mas foi seu filho Idriss II que a transformou em grande cidade árabe, com muçulmanos de Córdoba no bairro andaluz, árabes tunisianos no kairaouense e uma comunidade judaica. Sem a sofisticada cultura urbana e as tradições artísticas desses estrangeiros. No fim do século 11, o rei almorávida Youssef Ibn Tachfine uniu as duas partes da cidade dentro dos muros. A cidade floresceu ainda mais sob os almóadas (os unitários) e viveu seu auge nos séculos 13 e 14 sob os marínidas.

Fez el-Bali
Para entender o complicado traçado da cidade é melhor ter uma visão panorâmica, posicionando-se em uma colina fora da medina, especialmente no terraço perto das esfacelas Tumbas Marínidas ou na Fortaleza Borj Nord. A fortaleza também abriga um pequeno museu de armaria. A entrada principal para a velha medina de Fez el-Bali é o portão Bab Boujlod, datado de 1912. Próximo fica a Dar Batha, belo edifício arabe-andaluz com um pátio tranquilo, onde você pode ver uma das coleções de artes populares mais interessantes do Marrocos, incluindo tapetes, zellij, cerâmicas e caligrafia.

                                                                         Bab Boujloud
Duas alamedas principais partem do portão azul até o Souk el-Attarine, a Talaa es Sghira e a interessante Talaa el Kbira. Aqui está um dos monumentos mais magníficos do país: a imponente Medersa Bounania, construída no século 14 pelo sultão marínida Abou Inan, que tinha a fama de ser mais interessado em sexo e assassinatos do que em religião. Dez a lenda que os líderes religiosos da Mesquita al Karaouine reprovavam tanto Abou Inan que insistiam para que ele construísse sua medersa em um depósito de lixo. O sultão então decidiu que medersa seria mais bela e imponente do que a Mesquita de al Karaouine. E seu desejo foi realizado, pelo menos por algum tempo, pois sua obra simples, porém adornada, tornou-se o edifício religioso mais importante de Fez. Os minuciosos ornamentos de estuque, zellij e entalhe continuam bem preservados.

                                                     Medersa Bounania

Na rua de Chrabliyin, vários vendedores apregoan ter as melhores babouches (chinelos) do Marrocos. O Souk el-Attarine ( mercado de especiarias), foco da velha medina, concentra ps produtos mais preciosos, como roupas finas, fios de seda e jóias. A grandiosa Mesquita de al Karaouine, fundada no século 9 por Fátima el Fihriya, a filha devota de um rico comerciante de Fez, era a maior do país até a abertura da Mesquita de Hassan II em Casablanca, no início da década de 1990. Reivindica também ser a universidade mais do mundo e continua tendo um papel de destaque na vida religiosa do país. Não muçulmanos mal conseguem ver a mesquita por dentro. Também fechado para não muçulmanos, um dos santuários mais dagrados da cidade é a Zaouia e a Tumba de Moulay IdrissII. Próximo a praça de Enajjarine tem a fonte mais bela da cidade. A praça é dominada pelo Foundouk Nejjarine, do século 18, onde há um pequeno museu de trabalhos em madeira que exibe belos objetos, entalhes e ferramentas tradicionais. A medersa el Attarine, do século 14, revaliza com a bounania em termos de beleza e decoração refinada e seu terraço tem lindas vistas.
Perto da praça Safarine fica o colorido Souk Sebbaghin ( souk dos tintureiros) e do outro lado há os curtumes malcheirosos, porém fascinantes, que podem ser vistos de terraços elevados.

Bairro Andaluz
Embora o bairro residencial andaluz não tenha souks nem maiores nem atraçoes e fique afastado da área turística, seu carácter é bem fassi. Um de seus destaques é a Mesquita Andaluza, que tem um pátio elegante. Construída no século 9 por Miryam irmã de Fatima ( fundadora da Mesquita al Karaouine), foi em grande parte reconstruída pelos almoadas no século 13. A Medersa es Sahrij, do século 14, uma jóia esfacelada do período marínida, ainda é parcialmente usada para alojar estudantes islâmicos.

Fez el-Jedid
A verdade, a nova medina de Fez foi construída pelos marínidas no século 13.
O curtume da cidade

                                                                       

Vista panoramica da parte velha de Fez.



    
                                                                                                     

                                                      Universidade de Al-Qarawiyyin




O palacio real de Fez.





                                                        Mausuléu do fundador da cidae

.

                                                           Mederssa Al Attarine







Sem comentários: